sábado, 22 de janeiro de 2011

Casa arrumada

Recebi por e mail esse texto cujo autor não aparece e irresistível é a sua publicação, mas pode ter sido da própria pessoa que me enviou... Minha madrinha, cuja poesia se faz bem nela:
Casa arrumada é assim:
Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas...
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo:
Aqui tem vida...
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
Sofá sem mancha?
Tapete sem fio puxado?
Mesa sem marca de copo?
Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto...
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos...
Netos, pros vizinhos...
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia.
Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.
Arrume a sua casa todos os dias...
Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela...
E reconhecer nela o seu lugar.

Magia universal

Nada é igual... Jamais acontece o mesmo entardecer...


Cada dia é único... O repertório da natureza é infinito...













E têm registros que demonstram o quanto o universo conspira a favor de quem AMA

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Será que sabemos como nascem os marginais?

O ambiente em que vive é desregrado? Os traficantes do bairro estão de olho, ajudam a família e, portanto exigem que a criança roube por eles? As drogas que lhe são apresentadas fascinam e não dá mais para evitar?
Pode ser por uma série de aspectos, quem sou eu para dizer, existem estatísticas e pesquisas que desconheço a respeito, e que não vou procurar agora por que hoje a pior delas me bateu forte. Existem coisas que me revoltam.
Soube através uma ex aluna que dois colegas de turma dela foram presos, um deles inclusive antes de ser preso foi expulso da escola
Lógico! Escola é o lugar de maior exclusão que eu conheço.
Dei aula para essas figuras o ano passado, eles me contavam a grandiosa arte de ganhar dinheiro no bairro, um deles vendeu milho cozido por algum tempo, num desses carrinhos, cujo dono, dizia ele, era muito bravo e não deixava comer nenhum milhinho se quer...O outro começou a trabalhar num supermercado próximo da escola, eu freqüentava quando tinha que ficar até mais tarde ou aos sábados no colégio, fiz uma série de elogios para o dono do supermercado, nem sempre muito verdadeiros, pois não era um bom aluno.
E daí. Não me arrependo das “mentirinhas”, foram para incentivar...
E no fundo tenho uma dificuldade muito grande em definir o BOM ALUNO, Quem ele é? Aquele que só respira e tira notas boas? Poxa! Eu não fui uma boa aluna então. E alem do mais, eu adorava esse pestinha que hoje está fazendo pós graduação em marginalidade, preso em alguma casa de detenção para menores infratores de Campinas.
Que Bosta! O cara (um adolescente) aparece com uma folha de maconha na escola. FOI EXPULSO. Seria cômico se não fosse trágico. É como se pedisse:
“Por favor, galera que sabe tudo de conteúdos de ciências, história, geografias, matemáticas e etc., venho através dessa folhinha de maconha pedir lhes atenção e conselhos, tenho a opção que sei estar errado, de viver perigosamente, usar drogas que me chegam de maneira mais didática que seus ensinamentos, mas se vocês me acolherem agora e me mostrarem outra forma eu topo, por isso estou aqui mostrando a minha outra opção. Quem dá mais!”
E é lógico que a escola não dá lhe tira inclusive o direito a ela, se não para estudar e obter conhecimento de pelo menos o de estar em meio aos bons.
Que raiva que me dá ser educadora nesse momento. E entregar aos leões os meus meninos. Que pena que a instituição escola não encara mais os desafios, é uma pena realmente por que não podemos olhar para um jovem na rua e dizer: “esse foi um dos meus alunos mais terríveis, olha só que orgulho, hoje é gerente dessa loja e ganha um salário maior que o meu”. Ou ouvir de um deles: “Professora, que saudade, gabaritei biologia no vestiba, lembrei das suas musiquinhas”
Ai que tá o problema salarial, não podemos dizer ganhamos pouco, mas nos orgulhamos do que fazemos, e dos serviços prestados a sociedade. Sei que muitos colegas ao ler isso vão dizer: Prefiro minha parte em dinheiro. Mas os marginais que nos roubam a bolsa ou o aparelho de som de nosso carro, são nossos educandos, passaram pela nossa mão e não fizemos nada para mudar a realidade desses sujeitos. Aí vivemos com medo, numa sociedade perigosa, e não nos damos conta que somos em grande parte culpados... Se não os únicos que pode mudar isso. QUE PODER nos foi concedido e em qual momento nos foi arrancada a esperança?
Meu Deus, o menino trouxe uma folhinha de maconha para a escola, ele pediu socorro... Ninguém dentro de uma instituição de ensino entendeu isso?

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

PARABÉNS MIGUELDINO

08 de novembro de 2004
Levei meu celular novo chiquérrimo para a Santa Casa de Tupi Paulista, e falei para todo mundo ligar que eu daria notícia do nascimento do Miguel
Dei o número errado...
Só conseguiram falar no tijolão do vovô Aldo
Nasceu...pititico....calminho...lindinho...
Quando fomos para casa, a Ju teve aquela dor de cabeça pós anestesia e teve que voltar para o centro cirúrgico;
Me lembro, no feriado do dia 15 de novembro, que a tia Dani foi conhecer o nosso novo sobrinho;
A vovó pediu que déssemos banho no Miguel,
A tia Dani, foi toda sabida, e começou a tirar a roupinha dele, e falou:
“Não sei dar banho em bebe com umbiguinho”
Na hora eu não resisti:
“E eu não sei dar banho em bebe com umbiguinho, bracinho, perninha, cabecinha”
Até o Miguel riu...
Dizem que são espasmos, acho uma sacanagem. Quando chora, é choro mesmo, dor (cólicas), fome, sei lá...Quando ri. É espasmo...Engraçado você fala com a criança e dá espasmo...
Eu nunca acreditei nisso, até por que esse menino é muito inteligente...
ESPECIAL  mesmo
Eu sofri quando vim embora para Vinhedo, ficava vendo aquele bebezinho deitado no chão da sala de bruços, um calor violento e ele de meias (por que a vovó diz que dá cólicas).
ADORAVA CHEGAR DA ESCOLA...CRIANÇAS TEM MAGIA...O MIGUEL É O PRÓPRIO  MÁGICO...
Ele não precisa fazer nada, e deixa uma saudade doentia...
E isso se repete agora;
Sofro vendo o procurar “Dudus” no meu quintal
QUE SAUDADE MOLEQUE, QUE VC DEIXOU AQUI...
Na Maria não posso escrever, as letrinhas embaralham...
Só vou contar que ontem antes de dormir, quando contei da festa de 6 aninhos dele, ela quis chorar mas, segurou e disse:
“Mamãe quando eu chegar em Pau D´alho, vou passar batom e beijar o Miguel inteiro, vai ficar marcadinho” rimos e rezamos por ele, em especial, ela dormiu...
MIGUI, SABEMOS QUE ESTÁ FELIZ,  e que ontem foi a melhor festa do mundo...
Não estamos aí com você, não temos você aqui conosco, mas o amor não é egoísta e nem pode deixar ninguém triste...
A Maria ensina com a forma de encarar os acontecimentos, que o amor é simples, compreensivo e livre.
TE AMAMOS COM TODA A FORÇA DOS NOSSOS CORAÇÕES, UM TANTÃO ASSIM:
video

sábado, 6 de novembro de 2010

A Maria e seu probleminha com a língua II

O sucesso da Maria e seu probleminha com a língua foi tão grande e faltaram tantas coisas legais que resolvi escrever mais...
Bom dia PETUAL!
Sabe aquele negócio que prende roupa no varal? Isso mesmo PRENDELADORES...Certo.
Esse ano na apresentação da escola as meninas eram as Emílias e os meninos os BIGUIESCONDES...aquele que parece um TABUGO de milho...Sabe quem é?
Do sítio do picapau AMALELO.
Estamos curtindo muito a chácara e como as plantas estão precisando de um carinho a mais, ficamos discutindo qual AUGUSTO colocar.
 Você deve saber do que estou falando, aqueles nutrientes que colocamos nas plantas para auxiliar nos processos de
crescimento,
 floração,
frutificação e
multiplicação.
Caso precise de uma aula sobre isso ENTRE AQUI a Maria te explica.
Essa menina tem uma didática que me assusta.
Será outra professora na família,
Ela imita a TIA PLI direitinho.
Sabe o que é teacher? Tia de inglês em inglês, ué!
A Maria adora as aulas de inglês! Tem uma pronúncia melhor que a minha
(também isso não é difícil)
Menino é Boi...Filha é boy! Mamãe você não sabe, minha tia de inglês que sabe, É BOIIIIII.
Todos os dias eu dou um banho na Laura antes de buscar a Maria na escola, ao escolher a roupinha que vou colocar, já consigo ver a Maria falando:
                LAULA, QUE GLACINHA QUE VOCÊ TÁ!
E toda sexta tem KINDEROVI
Já marquei fono , mas adoro esse eLe,
CLALO mamãe!
PALA! (de parar)
A nossas pérolas ficam ainda mais gostosas ao imaginar sua carinha e tonalidade de voz alegre e destemida do erro ao, no melhor estilo
“quero duas de uma calher”, gritar:
Um pão com e outro SEM COM...
Papai! A mamãe DIZEU que quer...
Eu plantei alecrim na nossa horta medicinal, tive que ouvir:
Mamãe o ALEGRIM não é DOULADO...
ESSA BAIXINHA É MARAVILHOSA!
SE NÃO EXISTISSE TINHA QUE INVENTAR
SOU A MÃE MAIS FELIZ DO MUNDO...
Se você se lembrar de alguma PÉROLA DA MA, poste um comentário para eternalizá - la.

O anjo da minha guarda

Quando eu era bebe...
Conta minha mãe.
Que tomei muitas mamadeiras numa única noite, e que tinha ligação direta...
Completamente sem flora intestinal e desnutrida.
Levaram  me ao Dr. Amauri,
Meu pai quase bateu nele depois de um comentário infantil e inconseqüente do médico:
“Quando o Poli não resolve trazem a bomba pra mim”
Eu acho que sou mesmo uma bomba, mas ofendeu
Ele resolveu.
Desativou a bomba, sozinho um verdadeiro esquadrão anti bombas,  
Provavelmente por ser infantil e inconseqüente...
Virou amigo da família,
Em quem confiar...
Contam que eu o adorava....
Chegava a minha casa nos colocando na mangueira, e dizia
“gripe eu sei curar”
Imagina se criança não gosta?
Quando um dia foi me ver antes de uma viagem,
Foi se despedir de mim...
Nasceu no Rio de Janeiro, fez medicina,
Foi parar em Tupi Paulista!!! Pra que?
Salvar minha vida!
E morreu num acidente de avião...
 Mas continua a olhar por mim
Orienta-me ao pé do ouvido, ouso sua voz...
Sempre o que devo fazer
Nunca me permitã (permita com ermitã) ficar sozinha.